Presidente do Sinduscon-DF participa do evento Inovação em Debate

Presidente do Sinduscon-DF participa do evento Inovação em Debate
Compartilhe:

Lucas Junqueira
Assessoria de Comunicação Social do Sinduscon-DF

Na tarde desta quarta-feira (30), a Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (​ABIPTI) e a Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) realizaram a 3ª edição do evento ‘’Inovação em Debate’’. Desta vez, a temática central foi o futuro da construção civil na capital.
 
O presidente do Sinduscon-DF, Dionyzio Klavdianos, foi um dos palestrantes do evento e discorreu sobre três assuntos.

Tecnologias emergentes que podem afetar os processos construtivos e negócios na construção civil

Klavdianos abordou sobre o projeto ‘’Construção 2030’’, criado em 2018 pela CBIC para incentivar o empresário da construção civil a investir na modernização de seus processos construtivos e na interação do setor com a sociedade. O estudo foi baseado na ferramenta foresight, desenvolvida pela Universidade de Stamford, e traçou cenários futuros encontrando possíveis alternativas para alcançá-los.

A base do projeto foram as ‘’duas curvas S’’. No primeiro momento, é colocado no topo a construção tradicional com baixa produtividade e em paralelo, alguns sinais de futuro da construção, como comportamento e inovações tecnológicas. No futuro, esses sinais se transformam e passam a ser o principal ponto, como a indústria 5.0 de casas ativas, adaptáveis e regenerativas. Enquanto isso, o que era a primazia anteriormente, vai se reduzindo. Como exemplo, colocou a construção da extensão do Hospital Regional de Samambaia (HrSam), que foi destaque pela velocidade na construção.

Maiores preocupações dos empresários do setor para os próximos anos

Para o dirigente, o setor da construção civil enfrenta dificuldades como a alta histórica no preço dos insumos - que persiste desde o primeiro trimestre do período da pandemia da Covid-19 - e a consequente falta de alguns deles, como o aço. ‘’Essas complicações nos fazem buscar a evolução e inovações’’, afirmou. 

Outro ponto que empresários da construção se atentam no momento é em relação à redução nos impostos para importação de insumos pelo período de um ano, tendo como objetivo minorar os impactos da alta nos preços. ‘’Temos esse paradoxo e essa é mais uma das tantas lutas que temos para melhorar o estado de negócio e a situação para que o construtor empreenda’’, completou.

Porém, segundo Klavdianos, a despeito das dificuldades e dos cenários indefinidos, o segmento está tendo um desempenho interessante e têm mostrado a sua força. Além disso, apresentou estudos que apontam que a construção foi um dos segmentos que mais gerou novas vagas de emprego em 2020 e no primeiro quadrimestre de 2021, foi um dos que mais tem correspondido a retomada da economia. 

Oportunidades para empresas da construção e incorporadoras

O presidente do Sinduscon-DF apontou o BIM Colaborativo como uma das principais oportunidades a serem aproveitadas nos próximos anos. ‘’Acreditamos e temos investido muito nessa inovação que, ao contrário do que se diz, é democrática’’, concluiu. Inclusive, falou sobre a importância do Projeto BIM Colaborativo (PBC), idealizado pela CBIC e a Vistta/S Consultoria, e do Bim Fórum Brasil.

Na oportunidade, citou que, em meio ao questionamento de série de fatores ligados ao setor, deve-se reforçar a importância do papel das entidades e do entendimento por parte dos construtores em relação aos projetos integrados. ‘’Foi-se a época em que entidades sindicais serviam meramente aos interesses corporativos. A queda da obrigatoriedade da contribuição sindical foi a pá de cal neste tipo de pensamento’’, complementou.

Outra oportunidade citada foi a cooperativa de compras para adquirir insumos. ‘’Entidades e empresários têm, assim, a oportunidade de articular, colaborar e enfim, protagonizar o cenário futuro’’, enfatizou. O Sinduscon-DF foi referência neste aspecto. No mês de maio, em conjunto com a Coopercon Brasil e Coopercon-DF, realizou uma mobilização para a importação do aço. Clique aqui e confira como foi.

Os demais palestrantes foram o consultor e executivo da Tecnoenge, Luiz Henrique Ceotto e o arquiteto e professor da Universidade de Brasília e do UniCEUB, Alberto de Faria. Dentre os assuntos citados por ambos estão os desafios para a modernização do setor, as principais amarras de modernidade da construção, ações institucionais e culturais, entre outros.

Clique aqui e acesse o evento completo.

Voltar