Sinduscon-DF recebe deputado distrital Roosevelt Vilela

Sinduscon-DF recebe deputado distrital Roosevelt Vilela
Compartilhe:

Lucas Junqueira
Assessoria de Comunicação Social do Sinduscon-DF

Flexibilização do uso do Setor Comercial Sul, análises de projetos e o Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (PDAF) foram alguns dos assuntos debatidos durante a Reunião de Diretoria do Sinduscon-DF da última terça-feira (3). O encontro contou com a participação do deputado distrital Roosevelt Vilela, atual presidente da Frente Parlamentar da Construção Civil.

O presidente da Ademi DF, Eduardo Aroeira; o presidente da Asbraco, Afonso Assad; e o presidente do Codese-DF, Paulo Muniz, também prestigiaram a reunião.

Análise de projetos

Eduardo Aroeira, presidente da Ademi DF, apresentou a problemática relacionada ao atraso na aprovação de projetos de novas obras junto ao Corpo de Bombeiros Militar do DF. Segundo ele, os entraves iniciaram em meados do ano passado e agravaram-se neste ano com o aumento de lançamentos imobiliários e o início da pandemia da Covid-19.

Aroeira destacou que, apesar da boa articulação, a celeridade não tem sido a necessária para que o setor possa colaborar com o desenvolvimento da capital. ‘’O contato tem sido intenso e direto no aguardo desta melhora’’, complementou.

O deputado Roosevelt Vilela ressaltou que tem acompanhado a demanda junto ao CBMDF, mas que o corpo de trabalho do órgão sofreu defasagem nos últimos anos devido ao número de aposentadorias. ‘’O quadro tem sido recomposto, mas leva uma certa dificuldade. Está sendo feita uma grande operação com oficiais que confio e com boa capacidade de trabalho’’, completou.

Na oportunidade, o deputado ainda anunciou que o comandante-geral do CBMDF, coronel Willian Bonfim, está criando um canal de atendimento exclusivo para grandes clientes, com foco na análise de projetos que tragam maior capacidade de geração de empregos e riquezas para o Distrito Federal. 

João Accioly, vice-presidente da Indústria Imobiliária do Sinduscon-DF, também discorreu sobre o assunto e enfatizou a necessidade de renovação no corpo de técnicos de licenciamento do CBMDF. 

Segundo ele, as entidades do setor podem ser grandes aliadas na adaptação de novos contratados, gerando maior fluidez na aprovação de projetos. ‘’Temos muito o que contribuir e necessitamos dessa interação. Ainda temos bastante a trabalhar e contamos com o deputado Roosevelt neste aspecto’’, destacou.

Logo após, o deputado sugeriu ao Sinduscon-DF que elabore um seminário, em conjunto com a Câmara Legislativa, sobre aprovação de projetos e vistoria na área de combate e prevenção a incêndios. O presidente do Sinduscon-DF, Dionyzio Klavdianos, aprovou sugestão do trabalho de nivelamento dos técnicos e afirmou que repassará à frente da construção para que a iniciativa seja idealizada em futuro próximo.

Setor Comercial Sul

O presidente do Codese-DF, Paulo Muniz, afirmou que a flexibilização do Setor Comercial Sul é uma das prioridades da entidade e que é necessário revitalizar as áreas centrais. Segundo ele, consequentemente, trará parte da população da capital para as proximidades de seus locais de trabalho.

Em seguida, o primeiro vice-presidente do Sinduscon-DF, Roberto Botelho complementou a fala de Muniz e reforçou a importância da flexibilização da região para evitar que essa se iguale a demais locais brasileiros que enfrentam problemas com o tráfico de drogas. ‘’Muitos imóveis estão fechados. As pessoas estão evitando circular na região na parte da noite e quando vão, é porque não possuem alternativas’’, completou.

Para Botelho, o setor está sendo abandonado gradativamente e torná-lo mais movimentado removerá as atividades de risco na região. Na oportunidade, também citou sobre a necessidade de observar exemplos internacionais de revitalização, como o trabalho realizado no High Line Park em Manhattan, Nova Iorque. 

PDAF

Os recursos do PDAF foram outro tema levantado durante a reunião. Segundo o presidente da Asbraco, Afonso Assad, é preocupante o direcionamento de recursos para diretores de escolas que não conseguem aplicá-los da melhor forma, gerando, assim, consequentes adversidades no setor.

Para Assad, com a liberação dos recursos neste método atual, os resultados encontrados são obras mal feitas, sem geração de empregos e diretores que não prestam contas.  Em concordância, o deputado Roosevelt informou que a Câmara Legislativa está discutindo a pauta, principalmente no âmbito da burocracia para destinação e aplicação de recursos. 

Ruyter Thuin, vice-presidente do Sinduscon-DF, fez uma observação sobre o programa e reforçou que problemas sérios ainda são encontrados em sua legislação. Ele acredita que os recursos destinados às escolas públicas são  elevados e mal aplicados. ‘’O que deve-se ter é uma fiscalização eficiente destes recursos e licitações publicadas no Diário Oficial da União’’, finalizou.

O Refis, o Programa de Descentralização de Ações Militares (PDAM) e a Lei de Uso e Revitalização do Solo (LUOS) foram outros temas tratados no encontro.

Voltar