Ademi DF leva ao GDF panorama do mercado imobiliário e sinaliza tendência de crescimento do setor em 2021

Ademi DF leva ao GDF panorama do mercado imobiliário e sinaliza tendência de crescimento do setor em 2021
Compartilhe:

Assessoria de Imprensa da Ademi DF

O mercado imobiliário do Distrito Federal fechou 2020 com crescimento e acumula sinais de que, a despeito dos desafios ainda impostos pela pandemia do novo coronavírus, continuará sendo um dos vetores de desenvolvimento econômico do Distrito Federal em 2021. A realização desse potencial passa pela capacidade do poder público dar vazão à análise e liberação de projetos, tema que foi levado ao governador Ibaneis Rocha (MDB) pela Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI DF) em audiência nesta quinta-feira (10).

“Nosso setor vive um ciclo sustentado de expansão. Muitas são as condições necessárias para que isso se mantenha, entre elas a agilidade e desburocratização dos procedimentos adotados pelo governo”, afirma Eduardo Aroeira Almeida, presidente da entidade. “Dar ao empreendedor condição de realizar seus projetos significa gerar novos empregos de forma significativa e isso é muito importante nesse momento. O governador nos ouviu e demonstrou sensibilidade para o tema. Fizemos uma reunião muito produtiva”, relatou.

O presidente da ADEMI DF apresentou ao governador os resultados do segmento: desde a eclosão da crise sanitária, foram gerados mais de 20 mil novos empregos no DF. No primeiro trimestre de 2021, o mercado imobiliário teve desempenho positivo tanto nas vendas quanto no número de lançamentos residenciais: entre janeiro e março foram comercializadas 472 unidades residenciais e lançados quatro novos empreendimentos.

Na conversa, Eduardo Aroeira também relatou um aumento de 37% na demanda por projetos nos escritórios de arquitetura do DF em abril, comparado ao mesmo período do ano passado, indicador relevante da tendência de expansão do setor com impacto direto sobre o poder público. “Nós alertamos que seria importante reforçar a equipe da Central de Aprovação de Projetos (CAP), que pode perder eficiência pelo aumento expressivo da demanda”, comentou o presidente da ADEMI DF. Vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEDUH), a CAP é responsável pela análise de licenças, alvarás e outros procedimentos associados à incorporação imobiliária.

“Temos um diálogo transparente com o GDF e muito tem sido feito para melhorar nesse campo. A CAP tem feito um grande esforço nos últimos anos e nós percebemos que muitos avanços já foram feitos. Mas, agora, será preciso mais estrutura para atender a demanda do mercado, que é crescente, com tempo hábil”, explica Aroeira. Segundo ele, o governador Ibaneis Rocha sinalizou que estudará uma solução.

A delegação da ADEMI DF incluiu seu vice-presidente, José Wilson Silva Corrêa; os conselheiros Paulo Octávio, Gil Pereira e Paulo Muniz (também presidente do CODESE-DF); e o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (SINDUSCON-DF), Dionyzio Klavdianos.

Reconhecimento e parceria – Da equipe do GDF participaram o titular da SEDUH, Matheus Oliveira; o secretário de Economia, André Clemente; o presidente da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), Izídio Santos Junior; e o diretor técnico do órgão, Hamilton Lourenço Filho.

Durante o encontro, Aroeira reconheceu e destacou a importância de o setor da construção ter sido incluído entre as atividades essenciais durante a crise sanitária, permitindo a manutenção e geração de novos empregos e a continuidade de obras e projetos no DF. “Nós agradecemos ao governador, que teve um olhar acertado para o nosso setor e vem adotando medidas de estímulo ao desenvolvimento”, diz o presidente da ADEMI DF.

O presidente da ADEMI DF destaca que as empresas tiveram sucesso na adoção das medidas de prevenção à Covid-19, apoiando seus colaboradores nos canteiros de obras e outros espaços, o quer permitiu atravessar esse período com baixa incidência de casos da doença. O setor da construção, acrescenta, também foi parceiro do GDF doando insumos para enfrentar o vírus, como máscaras e álcool em gel, e recursos para ampliação do atendimento à saúde da população. A ADEMI DF e o SINDUSCON-DF articularam a doação de R$ 700 mil para a construção da extensão do Hospital Regional de Samambaia, inaugurada recentemente.

“O encontro de hoje foi muito proveitoso para agradecermos ao governador pela atenção que tem dado ao setor da construção civil. Foram desatados muitos lançamentos de obras, como a W9 no Setor Noroeste”, comenta o presidente do SINDUSCON-DF, Dionyzio Klavdianos. Segundo ele, ao compreender a importância do setor da construção, o governador estimula um segmento com impacto decisivo no desenvolvimento econômico e social do Distrito Federal.

Voltar