Francisco Maia: seriedade e lealdade em prol do desenvolvimento do Distrito Federal

Francisco Maia: seriedade e lealdade em prol do desenvolvimento do Distrito Federal
Piauiense faleceu em 17 de fevereiro devido à complicações causadas pela Covid-19 (Foto: Fecomércio-DF)
Compartilhe:

Lucas Junqueira
Assessoria de Comunicação Social do Sinduscon-DF

Em 1963, a família de Francisco Maia Farias escolheu Brasília-DF para ser a sua nova casa. Piauiense nativo de Teresina, viveu em São Luís-MA até os 13 anos, época em que veio para a capital federal, sem saber que se tornaria uma figura de extrema importância para a consolidação política de Brasília e o desenvolvimento sócio-econômico do Distrito Federal.

Maia, jornalista de ofício, formado pela Universidade de Brasília (UnB),  trabalhou em diversos veículos de grande relevância, como o Correio Braziliense, o Jornal de Brasília, a Rádio Nacional e o Diário de Brasília. Na década de 70, optou por montar a sua própria empresa de comunicação, a TV Apoio, onde destacou-se como um dos pioneiros em produção visual.

Foram anos trabalhando em prol de diversos segmentos no DF, até que ingressou como integrante da diretoria da Fecomércio-DF, onde em 2019, se tornaria presidente da entidade. Ele também ocupava o cargo de presidente do Sindicato das Empresas de Promoção de Eventos do DF (Sindeventos) e na Câmara de Turismo e Hospitalidade da Federação.

Ao lado de sua esposa, Solange Pinheiro Farias, com quem esteve casado por 44 anos, criou três filhos. Um deles é Daniel Farias, que discorreu sobre a perseverança e dedicação do pai. ''Um homem à frente do nosso tempo. Estava sempre pensando em algo além, em criar algo novo e é isso que ele deixa para a cidade'', afirmou.

Lamentavelmente, no dia 17 de fevereiro de 2021, após um mês de internação na UTI do hospital Santa Lúcia, Maia viria a falecer em decorrência de complicações causadas pela Covid-19, deixando todo o DF abalado com a notícia. O velório e sepultamento foram realizados no Cemitério Campo da Esperança (Asa Sul).

O enfrentamento à Covid-19 foi uma das bandeiras de Maia ao presidir a Fecomércio-DF. No primeiro trimestre do ano passado, realizou ações como a doação de alimentos e insumos de saúde para a população - principalmente a de baixa renda - além da realização de campanha de auxílio a pequenos negócios e a disponibilização de crédito junto ao Banco de Brasília (BRB).

Dionyzio Klavdianos, presidente do Sinduscon-DF, reforçou a importância do trabalho de Maia e afirmou que o piauiense deixa boas lembranças para Brasília. ''É uma grande perda para o DF. O presidente Chico Maia era um sindicalista nato. Vinha ajudando bastante a cidade com suas ações a frente da Fecomércio. Um exemplo disto foi a campanha de natal da qual tivemos a honra de participar como parceiros'', completou.

O governador do DF, Ibaneis Rocha, emitiu suas condolências via nota de pesar. Segundo ele, Maia deixará um legado de trabalho em prol do empresariado e do comércio e que a capital perde uma importante figura que buscou trabalhar, com rara dedicação, pela cidade que escolheu para viver. ‘’Graças a essa atuação dedicada, vários projetos foram desenvolvidos, beneficiando não apenas os comerciários, mas também a população mais vulnerável do DF, já que ele tinha um olhar muito voltado às ações sociais’’, enfatizou. 

A Ademi DF também prestou as suas condolências e afirmou que Maia deixará um legado de seriedade, competência e compromisso com o desenvolvimento do DF. ‘’Uma de nossas mais importantes lideranças empresariais’’, declararam.

O Sinduscon-DF enaltece a luta de Francisco Maia pelo bem da capital e reforça sua solidariedade aos familiares e amigos neste momento de dor. 

*Com informações da Fecomércio-DF, Agência Brasília e Metropoles

Voltar