Taís

Taís
Compartilhe:

Dionyzio Klavdianos
Presidente do Sinduscon-DF

De tanto projeto bom que Taís ajudou a acontecer fico com o da Choopercon como o mais emblemático…

A festa, realizada no ENIC (Encontro Nacional da Indústria da Construção) nº 89, foi a mais animada de todas que participei. Tanto que nos encontros seguintes, as cidades buscaram replicá-la.

O título original juntava o nome da aclamada bebida com o da Coopercon Brasil e simbolizava o projeto de dar maior destaque às cooperativas de compras.

À medida que findava o dia de trabalho, as pessoas iam se deslocando para o local. Samba ao vivo, tira gostos, bebida e o reencontro de gente que passa o ano sem se ver… Entupiu… e quando me dei conta Taís estava atrás do balcão de atendimento ajudando a manusear as chopeiras.

Vou lembrar dela lá, vestindo a camisa, contente da vida com toda a “bagunça”, sem perder o humor nem mesmo com o fato de por boa parte do tempo o chopp, por defeito nas instalações do local, ter sido servido "quente”.

Quando veio trabalhar na Coopercon, estávamos no sufoco, não parava assessor na cooperativa. O currículo deu esperança, trabalhara na Ipê com o Júlio, quem nos indicou seu nome, e para o Luiz Estevão, acertávamos enfim.

Empreendedora nata, fez bicos como massagista, revendedora de todas as marcas de cosméticos, cuidadora de idosos…

Preocupada em encaminhar o filho, de quem foi mãe e pai não necessariamente nesta ordem, montou uma empresa de vistos para passaporte americano e, recentemente, no auge da pandemia, a dupla apareceu com uma fábrica de máscaras descartáveis que viabilizou, em plena escassez, a demanda de muitas das nossas empresas e a doação urgente do E.P.I por parte das nossas entidades ao governo local.

Vivia com intensidade e o fruto de tanto trabalho investia em viagens memoráveis, a última para Dubai, com direito à indefectível ostentação nas redes sociais.

Esta capacidade de dar conta de tudo me confundiu o entendimento sobre a real gravidade de seu estado, do câncer descoberto no ano passado ao Covid de agora.

Tinha pra mim que conseguiria contornar mais esta provação, tanto que há uma semana atrás a Veruska, nossa atual assessora da cooperativa, animou-se achando que talvez ela nem estivesse entubada, pois acabara de receber uma mensagem sua pedindo-lhe que fizesse um depósito para o filho e atualizasse o preço do cimento.

Engano nosso. Seu comportamento ao final da vida apenas guardou coerência com o da sua trajetória na terra… "Taís era a própria voz da Coopercon. Fica na nossa história”, como escreveu o Campolina da CCI ou “um amor de pessoa”, segundo a Franciele da Itebra.

Voltar